Origem e história da língua espanhola (1/4): Primeiros manuscritos.

maio 24th, 2013

Atualmente, mais de 495 milhões de pessoas falam espanhol como língua materna. A origem desta língua tem como ponto de partida o latim vulgar, que se propagou na Espanha no final do século III, depois de Cristo.

As primeiras revelações do idioma espanhol se iniciavam dos manuscritos do século X, talvez no ano 974, quando um monge escreveu pequenas anotações em várias línguas: latim, vascuence medieval, romance hispânico, na variação riojana do castelhano ou do navarro-aragonês. A estes escritos se chamaramGlosas Emilianenses, por haver sido compostos no Monastério de San Millán de Cogolla, que está a uns 40 km de Logronho. No princípio foram atribuídos a estes documentos o título de berço do castelhano, mas estudos posteriores classificaram os documentos como escritos maioritariamente em navarro-aragonês, e não em castelhano.

Origem e história da língua espanhola: Primeiros manuscritos.

Origem e história da língua espanhola: Primeiros manuscritos. Cartularios de Valpuesta.


Posteriormente foi proposto pelo Instituto Castelhano e Leonés da Língua que estes fossem os registros mais antigos da língua castelhana e leonesa, os documentos: “Nodicia de Kesos” e “Cartularios de Valpuesta”. Os cartularios foram aprovados pela Real Academia Espanhola em 2010 como os primeiros documentos escritos que aparecem palavras em castelhano, que são identificadoras de nossa língua, ao contrário de Glosas Emilianenses.

Os Cartularios de Valpuesta são manuscritos datados do século XII, mas a sua vez são cópias de outros mais antigos, que remonta ao século IX, incorporando fundamentos do dialeto romance Hispânico com características diferentes mais definidas. Valpuesta é uma cidade situada na província de Burgos, embora esteja distante apenas 45 km de Vitoria-Gasteiz.

Os documentos incluídos de denominação “Nodicia de Kesos” são escritos na língua romance, datados entre os anos 974 e 980, mas são associados como um latím vulgar em estágio avançado que se diferenciam na forma da língua romance. O conteúdo destes documentos é uma lista de queijos feita por um monge do Monastério dos santos Justo e Pastor, na antiga vila de Rozuela, que teve o seu explendor no século XI, mas quase nada permanece visível. Este espaço é hoje ocupado pela cidade de Chozas de Abajo, muito perto da cidade de León.

A denominação dada pela Real Academia Espanhola ao castellano com regência ao momento em que apereciam os primeiros escritos do castellano em processo de definição foi «una lengua latina asaltada por una lengua viva».

Imagem: Cartularios de Valpuesta. Clergymen in the Middle Ages http://goo.gl/nDczL

Spanish in Tour http://www.spanishintour.com
Dosal Proyectos. Spain.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube 

Leave a Reply